fbpx

apresentam:

apresentam:

Inscreva-se
Inscreva-se

Um exemplo a ser seguido por décadas: Conheça um pouco mais sobre a educação no Japão

Um exemplo a ser seguido por décadas: Conheça um pouco mais sobre a educação no Japão

5 de julho de 2022

Não é segredo para ninguém, o Japão sempre figurou como um dos países com a melhor educação mundial e para quem nunca esteve lá a pergunta “o que será que eles fazem?” deve ser constante.

Se pudéssemos resumir em poucas palavras seria: disciplina levada a sério e respeito às tradições. De todas as características presentes na educação japonesa, essas são as que mais se destacam. Somado a isso, claro, temos a tecnologia e inovação escolar que estão sempre à frente do seu tempo e em busca de melhorias.

O tempo de estudo obrigatório no Japão é de nove anos: seis anos no Ensino Fundamental (shougakkou) e três na Escola Secundária (chuugakkou). O Ensino Médio (koukou) não é obrigatório, mas a maioria dos alunos acaba fechando esse ciclo. O período exigido, que contempla alunos de 6 a 15 anos, é gratuito e tem o currículo estrategicamente definido pelo Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia. O material pedagógico e os planos de aula são sempre revisitados e passam por atualizações constantes.

O foco da educação japonesa é fazer com que os estudantes possam compreender o mundo e aprender como resolver os problemas ao invés de decorar e solucionar fórmulas prontas. Para os educadores, desenvolver o pensamento crítico nas crianças e jovens é muito mais importante.

Desde muito pequena, a criança é ensinada a manter uma rotina e uma disciplina muito rigorosa em casa e, principalmente, na escola: respeitar os professores e os colegas, ser pontual, não faltar às aulas, apresentar bom desempenho nas tarefas, cuidar dos seus materiais e até mesmo, ser responsável pela limpeza do ambiente escolar – até porque, lá não existem funcionários para isso.

Um fato muito interessante é que são os próprios alunos, divididos em equipes, que se revezam para limpar salas de aulas, áreas comuns e até mesmo banheiros. Além de estimulá-los a não sujarem a escola, os japoneses acreditam que esse hábito ajuda a desenvolver o espírito de equipe, a empatia e a autonomia.

No Japão, a cultura, os costumes e as tradições fazem parte do dia a dia das famílias. Na escola, isso não é diferente. Para os japoneses, enaltecer e respeitar esses valores é essencial para o desenvolvimento das crianças, tanto que desde os primeiros anos escolares elas aprendem caligrafia e poesia japonesa.

Por meio dessas práticas, as crianças têm acesso a histórias de sua origem, dos seus antepassados e de toda a cultura do país. Entendendo de onde vem as tradições e os costumes, maior é o respeito e a prática no cotidiano.

Além dos aprendizados adquiridos com os conteúdos, estabelecer uma rotina de estudos também faz parte da educação no Japão. Como isso logo se torna um hábito, uma das características mais evidentes dos alunos japoneses é o gosto pela leitura e pelo saber. Atualmente, 99% das crianças e adolescentes do país frequentam a escola, uma realidade muito diferente do Brasil, infelizmente.

Com tantos bons exemplos permanece o desejo de que o Brasil consiga se inspirar na educação japonesa e que um dia possamos nos orgulhar da educação brasileira, assim como os japoneses se orgulham da educação do seu país!

  • Realidades completamente distintas. Se compararmos a educação brasileira a de grandes exemplos como Finlândia e Coréia do Sul fica bem claro onde temos errado: pouco investimento e falta de estrutura. Entre os casos que mais impressionam, pela rapidez e abrangência na conquista de bons resultados, é o da Coreia do Sul. Depois de três anos de guerra com a […]

    Continue reading
  • Quem ama e acredita na educação certamente se preocupa, quase que diariamente, com o caminho que o sistema brasileiro de ensino tem percorrido. E quem sonha com um movimento educacional diferente deve olhar para fora: os países com os melhores sistemas educacionais do mundo têm muito a nos ensinar. Uma consultoria americana, Mckinsey, foi responsável por um estudo recente […]

    Continue reading

Leave A Comment

Ir ao Topo